Browsing Tag

filmes gls

    Filmes

    E que o seu domingo seja colorido como um arco-íris!!!

    7 de junho de 2015

    Inhai suas lindas e seus lindos!!! Estão gostando das mudanças? O post de hoje vai ser bem colorido! Acontece hoje em São Paulo, a 19ª Parada do Orgulho LGBT na Av Paulista!!! Siiim, esse blog é para heterossexuais, homossexuais, bissexuais, transgêneros, assexuais, resumido, o blog é pra qualquer pessoa que não espalhe o ódio em outra pessoa simplesmente porque não gosta ou não concorda com outra pessoa! Breve atualização: alguns atores das séries Netflix estão na parada, a maioria das atrizes que vieram são da série Orange Is The New Black que retorna com sua terceira temporada no dia 12 de junho.

    Olha as lindas do Orange na #NetflixNaParada!! @whododatlikedat @uzoaduba @nlyonne #OITNB

    A photo posted by Netflix Brasil (@netflixbrasil) on

    O antigo Said da série Lost também está dando pinta por lá:

    https://instagram.com/p/3orRSsLkob/?taken-by=netflixbrasil

    E já em ritmo de parada e dia dos namorados, quero deixar registrado o meu apoio ao comercial do Boticário! Um comercial lindo, feito de forma respeitosa para qualquer pessoa que aceite que toda forma de amar é válida!

    Pra quem não vai a parada, que tal aproveitar esse domingo e fazer uma maratona de filmes sobre o assunto? Siiiim, filmes bem legais estão na listinha famosa do blog! Vamos lá?

    • Vida Nua:

     O filme é uma adaptação da autobiografia de Quentin Crisp, um verdadeiro ícone gay da Inglaterra no século vinte, um homem que enfrentou com extraordinaria coragem o preconceito e as perseguições ao longo de décadas, sempre com inteligência e senso de humor. O filme é estrelado por John Hurt. Crisp era um pária mesmo entre os gays. Era efeminado, afeminado e não fazia questão alguma de esconder isso. Pelo contrário, dizia que essa era a sua “contribuição para a causa”, décadas antes de se falar de “visibilidade gay”. Foi um homem muito a frente de seu tempo, que jamais abdicou de seu direito de ser e de existir, ainda que tenha sofrido por conta disso. Ele foi um transgressor, no melhor sentido da palavra, e isso numa época em que a homossexualidade ainda dava cadeia na Inglaterra.

    • Milk – A Voz da Igualdade:

    Início dos anos 70. Harvey Milk (Sean Penn) é um nova-iorquino que, para mudar de vida, decidiu morar com seu namorado Scott (James Franco) em San Francisco, onde abriram uma pequena loja de revelação fotográfica. Disposto a enfrentar a violência e o preconceito da época, Milk busca direitos iguais e oportunidades para todos, sem discriminação sexual. Com a colaboração de amigos e voluntários (não necessariamente homossexuais), Milk entra numa intensa batalha política e consegue ser eleito para o Quadro de Supervisor da cidade de San Francisco em 1977, tornando-se o primeiro gay assumido a alcançar um cargo público de importância nos Estados Unidos.

    • Pride:

    No ano de 1984, Margaret Tatcher está no poder e os mineiros estão em greve. Depois do orgulho gay chegar em Londres, um grupo de ativistas gays e lésbicas decide arrecadar dinheiro para enviar às famílias dos mineiros. Mas a União Nacional dos Mineiros parece um pouco constrangida em receber esta ajuda. Os ativistas não perdem o ânimo, decidem entregar a doação pessoalmente e partem em direção ao País de Gales. Assim começa a história improvável de dois grupos que não tinham nenhuma relação, mas se uniram em prol de uma causa.

    • Do lado de fora:

     Rodrigo e Mauro são dois adolescentes gays, que decidem ir pela primeira vez à Parada LGBT de São Paulo. Eles têm a companhia do tio de Mauro, Vicente, um executivo solteiro e também homossexual. Apesar de se divertirem no evento, eles presenciam uma cena de agressão homofóbica, e socorrem a vítima, Roger, um homem casado cuja esposa está grávida. Quando os quatro se reúnem, eles decidem fazer um pacto para saírem do armário em menos de um ano.

    Deixa aqui nos comentários se você tem outra indicação!

    Um beijo dessa que vos escreve,

    Assinatura Natalia Wilde