Browsing Tag

elektra

    Séries

    Resenha da série Os Defensores!

    27 de agosto de 2017

    Inhai gente linda, tudo bem? O post de hoje vai ser bem sincero, não que eu não seja sincera sempre, mas talvez minha opinião nessa resenha não agrade a todo mundo… Pois é, senta que lá vem bomba, haha, literalmente! Eu estava super animada com Os Defensores e até fiz um vídeo com seis curiosidades sobre a série e os quadrinhos.

    Krysten-Ritter-chocada-com-os-defensores-netflix-me-identifiquei

    Os Defensores reúnem Matt Murdock (Charlie Cox), o Demolidor; Jessica Jones (Krysten Ritter), Luke Cage (Mike Colter) e Danny Rand, (Finn Jones), o Punho de Ferro, e conta a história dos heróis imperfeitos de Hell’s Kitchen que tentam salvar a cidade de Nova Iorque de uma ameaça maior que qualquer desentendimento entre eles.

    Bem, ai, vamos lá. Os Defensores começam num ritmo muito lento nos dois primeiros episódios e só começa a dar sinais de vida a partir do terceiro. Ok, isso é normal, aconteceu em Punho de Ferro e eu amei, mas não funcionou aqui. Na verdade, eu gostei deles terem mostrado o mini problema de cada personagem que integra o grupo dos defensores e gostei da forma como eles foram se unindo: através de duplas. Acontece que nos quadrinhos, Luke Cage e Danny Rand trabalham juntos em certas ocasiões, então os roteiristas precisavam mostrar essa conexão entre os dois. Ao ponto que a dupla “formada” por Jéssica Jones e Matty Murdock ficou meio aleatória, embora para mim faça sentido dividir em duplas com poder e dupla sem poder. Não sei se vocês me entendem.

    resenha-os-desenfores-netflix-marvel-me-identifiquei

    Gostei da volta da Trish (amiga da Jéssica), embora tenha ficado decepcionada esperando que ela se tornasse a Felina em algum episódio, amei a volta da Claire, afinal é a enfermeira que liga todos os super heróis, gostei da Misty e achei uma personagem forte (não conhecia porque dropei mesmo a série do Luke Cage), detestei a presença da Karen Paige que não fede e não cheira (quer dizer, ela ainda além de ser chata e ficar recriminando o demolidor a todo momento, quando na verdade ela faz a mesma coisa, ela se tornou um personagem obsoleto para Matt em relação a ex dele, Elektra, mas já volto nisso). Já o Foggy, embora tenha aparecido em pequenos trechos em vários episódios, liga o escritório de Jeryn Hogarth que pra quem não lembra trabalha com a Jéssica e representa o Danny, além é claro de ser melhor amigo do Matt.

    Vamos falar da vilania? Gente, que saco foi aguentar a todo momento ser lembrada que os integrantes da Mão, ou do Tentáculo, como quiserem chamar, estão em busca da imortalidade. Ok, isso eu entendi. Mas será que só eu percebi que até eles estão perdidos? Porque em um momento eles querem destruir a cidade de Nova Iorque assim como aconteceu em Pompeia, em outro momento eles estão atrás da substância que permitirá a eles a continuidade da imortalidade, em outros momentos eles querem poder, já em outros eles querem voltar pra casa em K’un-Lun. Sério, gente, que porra vocês querem afinal? E pra piorar em um episódio é citado a profecia sobre o Céu Negro vista por Alexandra, mas ninguém em nenhum momento se deu o trabalho de explicar que porcaria de visão foi essa e qual o real papel do céu negro.

    O melhor plot sem sobra de dúvida foi a Elektra encarnada de Céu Negro matar a própria mestre, Alexandra e “comandar”, mesmo que por dois episódios o tentáculo. Amei que ela conseguiu se lembrar de suas origens e do seu amor por Matt, mas ao mesmo tempo, perceber que aquela mulher que um dia ela foi já morreu mesmo. Alias, esse amor doentio entre eles é o que faz com que Matt em alguns momentos esqueça que ele está num time e pense somente nele (no caso salvar Elektra, mas pra ele, já que ele esquece que tem algo muito maior que a ex).

    Detestei a trilha sonora que fica bem misturada de episódio pra episódio e a fotografia remonta as cenas de o Demolidor. A assinatura das séries da Netflix com a Marvel ficou bem fraca em Os Defensores: a luta no corredor ficou fraca e sem graça. Não entendi nada galera. No geral gostei apenas da Elektra e da forma como os integrantes foram apresentados. Sinceramente fiquei bem decepcionada porque espera muito mais, já que tanto o Demolidor, quanto Jéssica Jones quanto Punho de Ferro me agradaram profundamente.

    Fico com certos questionamentos:

    • Afinal o que a Mão queria realmente?
    • Precisava mesmo tremer Nova Iorque logo nos primeiros episódios se a cidade não ia ser destruída?
    • O que houve com Madame Gao e Elektra?

    Honestamente não gostaria que houvesse uma segunda temporada para me responder isso se for pra ter o mesmo nível fraco de roteiro. Se for pra isso, tira um episódio na segunda temporada de Jessica Jones pra responder. Vocês não concordam? Bem, eu disse que talvez algumas pessoas poderiam não concordar com minha sinceridade nessa resenha sobre Os Defensores, mas nem sempre a realidade supre nossas expectativas, não é mesmo?

    Um beijo dessa que vos escreve,

    assinatura Natty Wilde