T

  • The Big Bang Theory:

TBBT

Sinopse: Quando todo o esquadrão de nerds está reunido, vira bagunça. Os físicos Leonard e Sheldon compreendem tudo no universo, desde a tremenda força gravitacional que emana de um buraco negro até a intrincada estrutura de um átomo. Mas pegue vários átomos e os reúna sob a forma de uma mulher e toda a compreensão vai por água abaixo.

Temporadas: 11

Episódios: Primeira temporada com 18 episódios; segunda e terceira com 23 e a partir da quarta temporada, 24.

Opinião: É muito fácil se apaixonar pelo Sheldon e pela Penny, meus personagens preferidos! Além de mostrar a realidade dos nerds e geeks, a série mostra que pessoas com características diferentes podem ser amigas.

  • The Bold Type:

The-bold-type

Sinopse: Série baseada na vida da editora da revista Cosmopolitan, Joanna Coles. Uma estagiária sonhadora que acaba de ser promovida dentro da Scarlet Magazine (uma “substituta” para a Cosmopolitan no mundo fictício da série). A série irá mostrar a relação de Jane e de vários outros funcionários com a editora-chefe.

Temporadas: 1

Episódios: ainda em andamento

Opinião: Eu tenho gostado bastante da construção das personagens e da trilha sonora. É tipo uma versão mais cosmopolita de Sex In The City e até agora tenho gostado muito da mistura de amor, sexo, confusão, jornalismo, revista, moda e redes sociais.

  • The Royals:

The Royals

Sinopse: Série inspirada em Hamlet, de Willian Shakespeare, a história gira em torno de uma fictícia família da realeza britânica e a forma como ela se relaciona com o mundo das celebridades, corrompido pelo poder e pelo dinheiro. Depois que o Príncipe Robert, um monarca amado pelo povo, é acidentalmente morto durante seu treinamento militar, seu irmão, Príncipe Liam (William Moseley) se torna o próximo na linha de sucessão. Liam é apaixonado pela americana Ophelia (Haley Lo Richardson), filha do chefe de segurança da família real. Estudante de arte e história, Ophelia ajuda Liam a lidar com a perda do irmão e com o fato de que agora ele é o novo Rei da Inglaterra. A relação de Ophelia com seu filho não agrada a Rainha Helena (Elizabeth Hurley). Ainda tentando lidar com a morte do filho, e passando por problemas em seu casamento com Simon (Vincent Regan), ela tenta impedir que o relacionamento de Liam e Ophelia se torne sério. Helena também é mãe da Princesa Eleanor (Alexandra Park), uma jovem que adora uma festa e desperta o interesse de Jasper (Tom Austen, de Jo), um dos guardas de segurança do Palácio. No elenco também estão Jim Piddock (Family Tree), como Truman, mordomo da família real; Jake Maskall, Ukweli Roache Oliver Milburn.

Temporadas: 4

Episódios: 10

Opinião: Por favor, amo séries britânicas, adoro os bastidores da história real e mesmo que seja fictícia, estou gostando bastante. Logo no primeiro episódio, pude identificar traços de Skins na personagem Eleanor.

  • The White Princess:

the-white-queen

Sinopse: Ao fim da Guerra das Rosas, a princesa Elizabeth, da casa de York, é oferecida em matrimônio a Henry, da casa rival de Tudor, para que a paz possa retornar ao país. Porém o casamento não vai bem, pois chega aos ouvidos da princesa que Richard, seu irmão perdido, está conspirando para tomar o poder e reclamar o trono ao qual diz ter direito.

Temporadas: 2

Episódios: A primeira teve 8 episódios.

Opinião: Tenho uma queda por séries históricas, especialmente quando se trata da história do Reino Unido, tanto que vi até o documentário chamado The Real White Queen. A série retrata bem como a Elizabeth se sentiu dividida entre o amor da mãe, da família e da sua casa com o amor por seu marido, Henry, pai de seus filhos. Tem muita coisa da série que é baseada em fatos históricos, o figurino é perfeito, o roteiro e a construção dos personagens. Gosto muito da escolha dos atores, da forma como Henry se vê atormentado e desesperado para que seus súditos o respeitem e o amem. A única coisa que me incomodou um pouco foi a mãe do Henry, a Margarida Beaufort que é uma pentelha, haha. Fico me perguntando se ela era assim na vida real.

  • The Good Doctor:

the-good-doctor-t-me-identifiquei

Sinope: Um jovem cirurgião diagnosticado com savantismo, um distúrbio psíquico raro, é recrutado para trabalhar na ala pedriátrica de um hospital de prestígio. Apesar do seu incrível conhecimento na área da medicina, esse médico não consegue se relacionar com o mundo à sua volta. Resta saber se esta dificuldade será um problema na hora de salvar vidas.

Temporadas: 1

Episódios: em andamento

Opinião: Depois que House acabou, me senti meio órfã de séries médicas e mesmo assistindo Chicago Med, não acho que seja a mesma altura. Mas desde que The Good Doctor estreou, eu senti que a fotografia, o roteiro e a arte são bem parecidas com House, até que descobri que ambas as séries são produzidas por David Shore, então até agora tenho gostado muito do que tenho visto.

5 Comments

Leave a Reply